Skip to content


O que faz uma estatal jogada na bacia das almas da privatização?

Contrata sem licitação – dispensada por uma lei que beneficia esse tipo de farra em empresas estatais – um “gestor de crise de imagem e de comunicação institucional”. Pelo menos essa é a estratégia da Ceitec S/A, ao custo de R$ 46 mil e vigência de contrato até o próximo dia 10 de abril.

E isso vai servir para quê no processo de degola de uma empresa deficitária, cuja única função, segundo o Ministério da Economia, seria o de intermediar a venda de um chip que sequer foi fabricado por ela?

Perguntem ao ministro-adjunto da Ciência e Tecnologia Júlio Semeghini, responsável pela tentativa de sobrevivência dessa empresa de faz de conta, que até a Controladoria Geral da União quer ver pelas costas.

*Esse Blog adora uma “Gestão de Crises”, mas desde já avisa: se tiverem juízo, não me liguem.

CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA ELETRÔNICA AVANÇADA S/A
EXTRATO DE CONTRATO Nº 9/2019 – UASG 245209
Nº Processo: 01213000893201979.
DISPENSA Nº 9/2019. Contratante: CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA -ELETRONICA
AVANCADA S.A. CNPJ Contratado: 06191835000152. Contratado : BARRIONUEVO
JORNALISTAS ASSOCIADOS.  Objeto: Serviços de diagnóstico e planejamento em
gerenciamento de crise de imagem e comunicação institucional. Fundamento Legal: LEI
13.303/2016. Vigência: 11/02/2019 a 10/04/2019. Valor Total: R$46.000,00. Fonte:
100000000 – 2019NE800054. Data de Assinatura: 11/02/2019.

Publicado em Coluna Capital Digital, Informática, Política.


Web Analytics