Skip to content


Estranhar algo no Brasil hoje em dia, só se tiver acordado de um coma nesse momento

Aconteceu algo comigo hoje (07/03) em minha página particular no Facebook, que eu ainda estou tentando entender, em meio à total perplexidade.

Na véspera de Carnaval compartilhei um vídeo do “Porta dos Fundos” em minha página. Mais um vídeo desse grupo de comediantes que inúmeras vezes compartilhei, mas a partir de agora saio justamente pela porta dos fundos para nunca mais sequer clicar para ver na página deles ou dos outros.

O vídeo é sobre um militar que assumiu o comando de uma escola de samba, tema que neste país parece ser bastante atual e garantia de boa zoação. O trabalho, de antemão é impecável, como tudo que já fizeram anteriormente.

De repente fui surpreendido com uma mensagem do Facebook contestando o compartilhamento, porque o Porta dos Fundos, que inclusive tem página no Facebook, reivindicou direitos autorais (???). Como apenas compartilhei, não disse que era meu, de onde tiraram a infeliz ideia de que eu estaria reivindicando direitos autorais sobre obra que eu nunca sequer pensei em produzir?

Se dissesse que esse vídeo era meu, tenho certeza que cairia no ridículo, pois na lista de mais de 600 colegas da minha página – a maioria  formada por jornalistas – tenho certeza que seria ridicularizado. Tenho alguns amigos, inclusive, que são amigos de comediantes do Porta dos Fundos.

Apenas contestei a forma como fui acusado de estar, sei lá, plagiando ou usando algo que não tinha autorização para usar. Aleguei que o vídeo estava aberto para compartilhamento e que, no meu entender, isso expressaria o desejo do Porta dos Fundos de difundir o seu trabalho.

Pois qual não foi a minha surpresa quando me veio uma segunda mensagem do Facebook, que eu reproduzo abaixo, rejeitando a minha alegação para o compartilhamento do vídeo e me dando um prazo para excluir o referido vídeo ou abrir novo embate com o pessoal desse grupo comediante sobre direitos autorais, que eu sequer reivindiquei.

Decidi dar um fim nessa discussão sem pé e cabeça, seja lá quem for o maluco que resolveu abrir um chamado no Facebook contra mim, por pirataria ou o que for na alegação dele. Deletei o vídeo e aproveitei para não mais seguir esse pessoal.

Mas como jornalista me reservo no direito de mostrar ao público essa loucura que acabou de ocorrer e não recomendar o compartilhamento de vídeos desse pessoal, mesmo que ele esteja aberto para essa ação.

*Porta dos Fundos, um abraço. O mundo está lotado de gente inteligente fazendo a mesma coisa que vocês.

Publicado em Coluna Capital Digital, Internet, Política.


Web Analytics