Skip to content


Serpro: sem nomes, Caio decide herdar time de Glória

O presidente do Serpro, Caio Mario Paes de Andrade, pretende levar para a diretoria da estatal o general Santos Guerra. Pelo menos essa é a versão corrente veiculada pela ativa rádio corredor.

Mas o que chama a atenção é a falta de nomes novos a serem apresentados por ele. Um problema para a sua futura administração. Sem quem indicar, Caio Mario de Andrade manterá remanescentes da equipe de Glória Guimarães na diretoria do Serpro. Já teria sido convidado a permanecer em seu atual cargo, o diretor de Administração, Antônio de Pádua Ferreira Passos. Sei pouco sobre ele, se não estiver errado foi Adjunto do Arno Agostin, no Tesouro Nacional.

Além dele, foi convidado o diretor de Operações, Iran Martins Porto Júnior, que tem o hábito de se vangloriar dentro da empresa afirmando que jornalista algum o coloca em saia justa e costuma recebê-los “com tapinhas nas costas e cafezinho”.

Iran era o diretor de confiança de Glória, despachada para o pijama neste governo. É o mesmo diretor, a quem atribuem uma viagem com a Huawei para a China, e que depois autorizou um pregão direcionado para a  empresa, que foi parar no TCU.

Iran também é o diretor do projeto da consolidação dos mainframes, uma confusão danada de vai e vem de serviços de Brasília para São Paulo, que depois voltarão para a capital federal. E mais recentemente, o responsável pela segurança do SIGEP, que terminou invadido e teve empréstimos Consignados fraudulentos em nome de servidores.

*Enfim, nada de novo com esse “novo” presidente.

Publicado em Coluna Capital Digital, Informática, Política.


Web Analytics